Crédito: Reprodução/Pixabay

Em resolução, CNM estabelece meta para inflação em 3,75% para 2021

Em resolução divulgada nesta terça-feira (26), o Conselho Monetário Nacional (CNM) estabeleceu e divulgou a meta de inflação para 2021. Seguindo a tendência de queda, fixou a estimativa em 3,75%. Assim, o intervalo de tolerância foi mantido em 1,5 ponto percentual para cima e para baixo. Para o ano que vem, o número ficou em 4,25% contra 4% para 2020. Lembrando que a meta deste ano é de 4,5%.

Em nota, a Fazenda explicou a meta: “A percepção de que a economia brasileira pode conviver com taxas de inflação mais baixas de forma sustentável se manifesta nas expectativas dos analistas de mercado, coletadas pela pesquisa Focus, conduzida pelo Banco Central, cuja mediana se situa em torno das metas estabelecidas para 2019 e 2020, de 4,25% e 4,00%, respectivamente”, informa. “A decisão representa mais um passo para a obtenção, de forma sustentável, de taxas de inflação mais baixas na economia brasileira”, acrescenta.

Para chegar ao valor, o órgão também ressalta que o redirecionamento da política econômica, aliada a reformas, ajustes e condução da política monetária permitem tal cenário. Ainda nesse âmbito, a Fazenda chama a atenção para a escala do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na variação acumulada em doze meses. Se em 2015, 2016 e 2017 fechou em 10,67%, 6,29% e 2,95%, respectivamente, em maio último, o número foi de 2,86%.

Fonte: Ministério da Fazenda