Produtores Rurais mudam perfil de contratação de crédito, afirma Banco Central

A queda continuada da Selic, que chegou aos 6,5% ao ano anunciados na última semana, tem, segundo dados do Banco Central, provocado uma mudança no perfil das contratações de operações de crédito por parte dos produtores rurais.

Até o ano passado, com a Selic a 10,25%, era mais vantajoso buscar empréstimos subsidiados pelo governo federal (com juros médios de 8,5% ao ano). Entretanto, os meses passaram, a Selic foi reduzida, e o quadro mudou. Os juros agrícolas, fixos e definidos antes dos planos anuais de safra, passaram a ficar mais atraentes.

O aumento do financiamento com juro livre foi grande: cerca de 54% enrte julho/2017 e fevereiro/2018 na comparação com o mesmo período da safra anterior.

À Agência Estado, a assessora técnica da Comissão de Política Agrícola da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Fernanda Schwantes, disse que, para os produtores, o financiamento bancário ainda vale mais a pena mesmo quando tiver taxa igual ao crédito subsidiado: “A exigência de contratar projetos técnicos e assistência técnica como parte do porcentual do financiamento liberado são fatores que têm inibido a procura pelo crédito com juros controlados”.

Banco do Brasil ganha com mudança

O Banco do Brasil foi outra instituição que percebeu a mudança. Maior operador de crédito rural do País, o BB registrou aumento de 190,5% no volume de crédito agropecuário contratado nos oito primeiros meses da safra 2017/2018.

Fonte: Estado de Minas